Para o ano há mais.

" Platão escreveu que a sociedade não estaria certa até que os reis fossem filósofos e os filósosfos reis. Eu acredito que a sociedade não estará certa até que os donos dos media sejam filósofos - ou que os filósofos  se tornem  donos dos media."
Alain de Botton,Expresso Revista - 18/OUT/14

" Platão escreveu que a sociedade não estaria certa até que os reis fossem filósofos e os filósosfos reis. Eu acredito que a sociedade não estará certa até que os donos dos media sejam filósofos - ou que os filósofos  se tornem  donos dos media."

Alain de Botton,Expresso Revista - 18/OUT/14

alaindebotton:

Success and Kindness

Boa festa!


Mousse de frutos do bosque:
250 gr de frutos do bosque (congelados ou frescos) 400 ml de natas (35% ) 100 ml leite condensado light 2 folhas de gelatina

Deixar descongelar os frutos (não deitar fora a água) e reduzir a puré. Hidratar as folhas de gelatina em água fria e escorrer. Ferver um pouco da água resultante da descongelaçao da fruta (30ml é suficiente) e derreter as folhas de gelatina hidratadas. Juntar ao puré.
Bater as natas até ficarem montadas, adicionar o leite condensado e continuar a bater.Envolver o puré de fruta com a gelatina na mistura. Levar ao frio pelo menos 2 horas.

Mousse de frutos do bosque:

250 gr de frutos do bosque (congelados ou frescos)
400 ml de natas (35% )
100 ml leite condensado light
2 folhas de gelatina

Deixar descongelar os frutos (não deitar fora a água) e reduzir a puré.
Hidratar as folhas de gelatina em água fria e escorrer. Ferver um pouco da água resultante da descongelaçao da fruta (30ml é suficiente) e derreter as folhas de gelatina hidratadas. Juntar ao puré.

Bater as natas até ficarem montadas, adicionar o leite condensado e continuar a bater.Envolver o puré de fruta com a gelatina na mistura. Levar ao frio pelo menos 2 horas.

Portugal tetra-campeão em sub-20, em Valongo, a cidade do hóquei em patins!

11 de outubro, 2014

 A pessoa que amamos é a metade que nos falta para nos sentirmos completos? No início do Banquete, de Platão, o comediante Aristófanes narra o mito dos Andróginos. Os homens no início eram esféricos,  tinham quatro olhos, quatro pernas, quatro braços, tudo a dobrar. Mas como castigo por pretenderam igualar os deuses, Zeus ordena que sejam divididos ao meio. O cirurgião divino costura na frente de cada um o sexo.

   Ao cortar esses seres ao meio, Zeus cria  a raça humana e faz  com que cada metade ande desesperadamente à procura da metade que lhe falta.

  Platão usa este mito para ilustrar a tese de que o desejo de completude é a explicação do amor. Bela ilusão, não?